Branding Fashion: O lado B da hermès, grife de moda francesa

A IstoÉ Dinheiro fez uma matéria sobre a iniciativa da Hermès, tradicional grife francesa, em abrir uma loja voltada exclusivamente ao público masculino em Nova York e José Roberto Martins, diretor e especialista em branding da GlobalBrands, foi um dos convidados a comentar o assunto. Confira trechos do artigo abaixo. Ou integralmente no site da revista.

O lado B da hermès

A famosa grife francesa, uma das mais desejadas pelas mulheres, adota uma estratégia ousada e inaugura, em Nova York, uma loja dedicada exclusivamente ao universo masculino
Danielle sanches

Poucos dias atrás, a agitada noite nova-iorquina ganhou um evento a mais para disputar a atenção dos pedestres que passavam pela Madison Avenue, endereço nobre da Big Apple, próximo de símbolos como o Central Park e a 5ª Avenida. Ali, entre as luzes da vitrine da Chanel, os sapatos elaborados de Christian Louboutin e os modelitos expostos na loja de Oscar de la Renta – apenas para citar alguns vizinhos -, aconteceu a inauguração da segunda loja da grife francesa Hermès […] trata-se da primeira loja voltada inteiramente ao mundo masculino, um projeto piloto que, se der certo, será replicado em outros países.O universo de Hermès sempre contou com objetos extraordinários para os homens“, afirmou Robert Chavez, presidente e CEO da marca nos Estados Unidos. “A loja será uma oportunidade de mostrá-los aos nossos clientes.

Localizada de frente para a flagship aberta em 2000 também na Madison Avenue, a nova butique possui mais de 200 metros quadrados e foi projetada de modo a exalar a tradição da Hermès, marca fundada em 1837. […]Ali, os clientes encontram peças como camisas, ternos, sapatos, perfumes, relógios, acessórios de couro e objetos de decoração – alguns deles vendidos apenas sob encomenda. Apesar de os produtos não serem novidade para a ala masculina, a iniciativa de criar um ambiente totalmente voltado aos homens causou frisson. Isso porque esse é um segmento pouco explorado pela marca, fortemente vinculada ao universo feminino. “É um passo que faz sentido, já que existia um público para esses produtos nas butiques tradicionais“, afirma o consultor José Roberto Martins, da GlobalBrands. “Mas considero desnecessário, já que é arriscado estender demais a marca com novas linhas.

A Hermès é considerada um dos grandes bastiões do mercado de luxo por se manter exclusiva […] A casa francesa criou produtos que foram imortalizados por celebridades que são sinônimo de glamour. É de sua autoria, por exemplo, a bolsa Kelly, produzida em homenagem à atriz e princesa de Mônaco Grace Kelly. A bolsa Birkin, criada para a atriz e cantora Jane Birkin, em 1984, também é tão exclusiva que a fila de espera para comprá-la, por US$ 34 mil, dura cerca de dois anos. Outro grande sucesso são os lenços, confeccionados em seda pura – a mesma matéria-prima para as gravatas, consideradas também um símbolo de tradição. “A gravata é um símbolo da masculinidade e as peças da Hermès são conhecidas pelo acabamento impecável“, diz Silvio Passarelli, coordenador do curso de gestão do luxo da Faap. Para ele, enquanto a marca mantiver seus rígidos critérios de qualidade, a investida vai prosperar. “Ela será admirada pelos homens do mesmo modo que é pelas mulheres.”

Share
Close Menu