osé Roberto Martins - Consultor e Diretor da GlobalBrands - Consultoria Estratégica Inteligente em branding e administração de marcas

José Roberto Martins é Administrador de Empresas, Mestre em Ciências da Comunicação pela ECA-USP, com 30 anos de experiência corporativa, incluindo:

  • branding: posicionamento e reposicionamento de marcas; criação de nomes; ações promocionais; treinamento; seleção, briefing, apoio e orientação de agências de propaganda e pesquisas de mercado.
  • prática de corporate branding em indústrias e prestadores de serviços, atuando para empresas públicas e privadas.
  • administração de marcas como um processo de marketing integrado: pesquisa (mercado, concorrência, processos, satisfação, brand equity); planejamento (mercado e organização); comunicação; relacionamento (CRM); Internet; SAC (pontos de contato).
  • avaliação econômica de marcas e outros ativos intangíveis, com trabalhos pioneiros no Brasil pela GlobalBrands.
  • trabalhou em comércio exterior por 10 anos antes de ingressar no mercado financeiro, inclusive como executivo de exportação na Citrosuco Paulista.
  • banking: diretor regional e gerente de agência; análise e estruturação de operações financeiras e comerciais; gestão de equipes (middle e corporate) e back office, captação e repasse de linhas em moeda estrangeira e local nos bancos: Comind, Chemical Bank, Midland Bank e Lloyds Bank, neste como diretor regional, por 6 anos.

Consultoria

GlobalBrands Consultoria Ltda.
Desde 1995: Administrador.

  • Administrador de marcas e líder em vários projetos de branding em empresas nacionais e internacionais, incluindo: Tokio Marine Seguradora, Frigorífico Ceratti, Câmara de Comércio Brasil Iraque, BRQ, Zaeli, Onodera, Smiles, Vale, Arno, Senac Nacional, Nhá Benta, Unaerp, USP, P&G, C & A, outras;
  • Dirigiu e executou dezenas de avaliações de marcas e outros ativos intangíveis em projetos junto ao Banco do Brasil, Groupe SEB Arno, Banco Santander, Suzano, Anglo, Universidade de Ribeirão Preto, Zaeli, Mallory, Taurus, Chapecó, Embrapa, Nestlé, outras;
  • Cursos e palestras em dezenas de organizações, incluindo: Petrobras, Banco do Brasil, DPZ, DM9, Salles, Avon, Abic, Sindecon, Francal, FEA-USP, SPC, Avipal, Febraban, FIESP, Senac, outras;
  • Especialista em administração de ativos intangíveis com foco em gestão do conhecimento, tendo trabalhado por quatro anos com o consultor Karl Erik Sveiby.

Educação

Bacharel em Administração de Empresas, Mestre em Ciências da Comunicação pela USP com a dissertação Comunicação e conhecimento: a Casa do Saber. Informações completas sobre a produção intelectual podem ser obtidas na plataforma Lattes do CNPQ.

Foi professor de “gestão e avaliação de ativos intangíveis” no curso de pós-graduação em Controladoria da PUC/PR-Londrina e UNIVATES.

Foi professor de pós-graduação em branding na FAAP.

Foi professor de “posicionamento de marcas” no curso de pós-graduação em Branding da PUCMG-Belo Horizonte.

Trabalhos Publicados

Co-autor de O Império das Marcas (1996), em parceria com o jornalista Nelson Blecher. Autor de: Grandes Marcas Grandes Negócios (1997); Branding: um manual para criar gerenciar e avaliar marcas (2000; 3a. edição 2006); Presságios: o livro dos nomes (2002); Capital intangível: guia de melhores práticas para a avaliação de ativos intangíveis (2012); dezenas de artigos e resenhas em jornais e revistas, no Brasil e exterior.

[email protected]

Aulas para grupos fechados na Casa do Saber.

Você pode se interessar pelo curso “A comunicação de marcas na vida líquida“.

Bauman (2007) enxergava a “vida líquida” como constante autoexame, autocrítica e autocensura. A vida líquida alimenta a insatisfação do eu consigo mesmo. Ele acrescenta que a crítica é autorreferente e voltada para dentro, além de ser a reforma que essa autocrítica exige e estimula. Desde essa visão crítica muito pertinente, concordamos que as marcas autocentradas (sem reformas) serão depredadas, saqueadas e devastadas pelos próprios consumidores e o “novo Estado”.

Estariam as marcas de várias categorias condenadas a julgamentos fascistas? Quem sabe. Será um novo viés do regime progressista de Woodrow Wilson, em que o individualismo para a escolha de marcas está ferido de morte? Possivelmente.

Em programas que podem variar de um a três encontros, debateremos sobre essas e outras perspectivas não-midiáticas, as quais estão em formação e construção (arbitrária, em muitos casos) de novos rumos para a comunicação e a sobrevivência da maioria das marcas.

A questão é: a sua marca sobreviverá?

Se você tiver interesse, eis os dados para obter maiores informações:

Fernanda Alves – Assistente Comercial – Casa do Saber – Rua. Dr. Mario Ferraz, 414 – Jd. Paulistano, telefone (11) 3707-8900. www.casadosaber.com.br

Casa do Saber e GlobalBrands

Share
Close Menu