Leilão judicial da marca Mappin

16/10/2007 – 08h27

 

Marca Mappin vai a leilão ao preço inicial de R$ 8,5 mi

CRISTIANE BARBIERI
da Folha de S.Paulo

Foram abertos ontem os lances para o leilão judicial eletrônico da marca Mappin. O lance final será dado no dia 12 de novembro, e a marca foi avaliada em R$ 12,1 milhões. O lance inicial aprovado pela Justiça é de R$ 8,5 milhões.

Até o início da noite de ontem, o site do Leilão Eletrônico Judicial já tinha recebido quase 700 visitantes, mas nenhuma proposta. Além da marca, também será leiloado um terreno de 27 mil m2 em Santo André (SP), com lance mínimo de R$ 14 milhões. O dinheiro arrecadado irá à massa falida, para pagamento dos credores da loja de departamentos.

Entre os especialistas, não há um consenso se o lance mínimo reflete o valor da marca Mappin. A rede quebrou em 1999, deixou um passivo de R$ 1,2 bilhão e 4.500 trabalhadores desempregados. Antes de fechar as portas, no entanto, o Mappin passou por um desgastante processo pré-falimentar. O controlador da loja, Ricardo Mansur, chegou a ser preso, acusado de crime financeiro.

“A marca não morre, ela é assassinada”, afirma José Roberto Martins, sócio da GlobalBrands, consultoria especializada em marcas. “O Mappin é um caso típico: a marca foi tão depreciada que não sei se haveria benefício em ressuscitá-la”.

Para ele, o varejo está entre os ramos de menor fidelização à marca. Prova disso é que a venda de bancos e redes varejistas –e a eliminação das marcas- é comum. “Hoje em dia, com a recuperação judicial, a Justiça não deixaria haver uma erosão de ativos tangíveis e intangíveis, como aconteceu com o Mappin”, diz Martins. “Esse desgaste dificulta a recuperação financeira dos credores, e a marca seria hoje muito mais valiosa”. (…)

Veja matéria completa em:

http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u337012.shtml

Share
Close Menu