Vale pagou 1.8 bilhão de reais por tecnologia necessária

Vale pagou 1.8 bilhão de reais por tecnologia necessária

De acordo com notícia publicada pelo O Antagonista, a Vale pagou aquele “valor astronômico” pela empresa New Steel, uma “empresa não operacional”.

Não conhecemos os critérios que determinaram o valor pago pela New Steel. Mas é possível tecer considerações importantes sobre a necessidade da aquisição, isso se levarmos em conta a importância dos ativos intangíveis nesse momento histórico da Vale.

Em notícia anterior, O Antagonista revelava espanto com o valor anunciado pela compra. Sem levar em conta o caráter societário e outros senões apontados pelo veículo, o fato de a New Steel deter patente em 57 países de uma tecnologia controlada legalmente (acredita-se) pela empresa, é motivo plausível para justificar a transação.

Mais uma vez a Vale se encontra envolvida em um grande e terrível momento da sua trajetória, e nada indica que ela poderá sair dos seus enroscos sem mudar o seu paradigma para o tratamento dos rejeitos de mineração.

A empresa pode até ter desenvolvido a sua própria tecnologia para reprocessar rejeitos de minério a seco, e assim acabar com as tragédias de barragens como as de Mariana e Brumadinho.

Mesmo se pudesse fazer oposição às patentes detidas pela New Steel, em 57 países, a Vale acabaria entrando em uma luta legal interminável com a empresa, com data imprevisível para conclusão. Enquanto isso permaneceria o uso da tecnologia das barragens, com novas consequências possivelmente desastrosas.

Já foi dito que o conhecimento é o recurso mais valioso em épocas de incertezas. E se levarmos em conta os estragos já causados à imagem da Vale, e que já trouxeram péssimas consequências para a atração de investimentos e sobre o custo do capital para tocar as atividades diárias, é possível que o valor pago pela New Steel possa ser reconsiderado.

Share
Close Menu